Não tenha medo de sorrir

Em nossa clínica buscamos, por meio de uma odontologia eficiente e moderna, reabilitar a função oral dos pacientes.

Sua saude em boas mãos

Buscamos o equilíbrio do Sistema Mastigatório, que, tendo todas as suas funções trabalhando em harmonia, propicia bem-estar e saúde para as pessoas.

Implantes, tratamentos dentários, clareamento entre outros...

Saúde, função, ética e estética aplicadas à odontologia são os nossos ideais.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Como usar o fio dental

Como usar o fio dental

Qual a maneira correta de usar o fio dental?

Quando usado corretamente, o fio dental remove a placa bacteriana e os resíduos de alimentos das áreas onde a escova dental não tem acesso fácil, como, por exemplo, a linha da gengiva e as áreas entre os dentes. O uso diário do fio dental é altamente recomendável uma vez que a placa bacteriana pode levar ao aparecimento de cáries e doenças gengivais.
Para usar o fio dental de maneira correta faça o seguinte:
  • Enrole aproximadamente 40 centímetros do fio ao redor de cada dedo médio, deixando uns dez centímetros entre os dedos.
  • Segurando o fio dental entre o polegar e indicador das duas mãos, deslize-o levemente para cima e para baixo entre os dentes.
  • Passe cuidadosamente o fio ao redor da base de cada dente, ultrapassando a linha de junção do dente com a gengiva. Nunca force o fio contra a gengiva, pois ele pode cortar ou machucar o frágil tecido gengival.
  • Utilize uma parte nova do pedaço de fio dental para cada dente a ser limpo.
  • Para remover o fio, use movimentos de trás para frente, retirando-o do meio dos dentes.

Que tipo de fio dental devo usar?

Há dois tipos de fio dental:
  • Fio de nylon (ou multifilamento)
  • Fio PTFE (monofilamento)
Existem no mercado fios dentais de nylon, encerados ou não, com uma grande variedade de sabores. Como esse tipo de fio é composto de muitas fibras de nylon, ele pode, às vezes, rasgar-se ou desfiar, especialmente se os dentes estiverem muito juntos. Embora mais caro, o fio de filamento único (PTFE) desliza facilmente entre os dentes, mesmo com pouco espaço, e não se rompe. Usados de maneira adequada os dois tipos de fio removem a placa bacteriana e os resíduos de alimentos.

Uso correto do fio dental:

Use aproxima- damente 40 centímetros de fio, deixando um pedaço livre entre os dedos.
Siga, com cuidado, as curvas dos dentes.
Assegure-se de limpar além da linha da gengiva, mas não force demasiado o fio contra a gengiva

font: http://www.yahoo-colgate-saudebucal.com.br/materia.aspx?Materiaid=7

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O guia da família para a saúde bucal

Bem-vindo à Colgate Sorriso Saudável, Futuro Brilhante® Família!

Colgate Sorriso Saudável, Futuro Brilhante é o programa global de educação de higiene bucal da Empresa Colgate-Palmolive, que entra em contato com famílias em casa e com crianças nas escolas, com uma mensagem importante sobre prevenção. Você pode prevenir doenças bucais. Seguindo a informação deste guia, você e sua família podem ter dentes e gengivas saudáveis por toda a vida.

4 Passos para um Sorriso Brilhante

  1. Escove os dentes pelo menos três vezes ao dia usando um creme dental com flúor, principalmente depois do café da manhã e antes de dormir.
  2. Use fio dental diariamente.
  3. Limite o número de lanches ingeridos por dia.
  4. Visite seu dentista regularmente.
É fácil orientar sua família para ter uma boa saúde bucal. É simples, basta ter as informações corretas e um pouco de prática para mantê-la na direção certa!
Como mãe ou pai, você pode interagir com seus filhos, ajudando-os a entender por que uma boa higiene bucal é importante - e mostrar-lhes como fazer isto corretamente! Este Guia da Família para a Saúde Bucal lhe dará exatamente o que você precisa para manter toda a sua família sorrindo.
Nesta seção, você aprenderá:

Como Usar o Fio Dental


Flúor - A Melhor Defesa de Sua Família

Flúor é o melhor auxiliar no combate às cáries que existe uma vez que você oriente sua família a ter uma vida toda de sorrisos saudáveis/brilhantes! Mantém os dentes de toda a família fortes - independentemente de suas idades.

Como o Flúor Age

Diariamente, o esmalte dos dentes é atacado por ácidos produzidos na placa bacteriana. Estes ácidos podem enfraquecer os dentes, e isso pode resultar em cáries.
E é aqui que o flúor entra. Ao alcançar os dentes o flúor é absorvido pelo esmalte. Ele ajuda a restaurar o esmalte e prevenir as cáries. Pode, inclusive, ajudar a deter o processo de formação da cárie.

Como se obtém Flúor

Você pode usufruir dos benefícios do flúor de diferentes formas. Ele pode agir de fora para dentro nos dentes, e de dentro para fora no corpo. Par que possa agir da melhor forma, você precisa fazer uso do flúor de ambos os modos! Em casa, você e sua família devem escovar os dentes com creme dental com flúor pelo menos três vezes ao dia, principalmente depois do café da manhã e antes de dormir.
Voltar ao Topo

Lanches e Cáries

Se o flúor é a nossa maior proteção contra as cáries, então lanches freqüentes podem ser o maior inimigo dos nossos dentes. Diariamente, você e seus familiares enfrentam o desafio de evitar lanches. É aqui está o que você precisa saber:

O importante é a freqüência com que você lancha

A verdade é que, aquilo que a seus familiares comem não é tão importante quanto: quando e com que freqüência eles lancham! Tudo tem a ver com a "reação da placa" , e é assim que a coisa funciona:

A Reação da Placa

Todos nós temos placa bacteriana em nossas bocas. Mas quando esta placa se encontra com os açúcares e amidos que existem em lanches tais como biscoitos, doces, frutas secas, refrigerantes, ou até mesmo em batatas fritas, ela reage para criar ácidos, e um "ataque da placa" acontece.
O fato é que a maioria dos lanches que você consome contêm açúcar ou amido dando à placa esta oportunidade para produzir ácidos. E cada "ataque da placa" pode durar até 20 minutos após o consumo do lanche. Durante este período, o ácido da placa está atacando o esmalte dos dentes, enfraquecendo-os. É nesta hora que cáries podem começar!

Combatendo a Placa

A boa notícia é, você pode tomar uma postura contra a placa! Escovando três vezes ao dia com um creme dental com flúor e reduzindo o número de vezes que você lancha por dia, você e sua família podem ajudar a prevenir as cáries.
Quanto à escolha do lanche, é melhor escolher algo nutritivo e lanchar com moderação. Também é melhor comer o lanche de uma só vez! Veja o porquê: comer cinco porções de lanche expõe seus dentes a uma possível formação de cáries - durante aproximadamente 20 minutos. Petiscar estas mesmas cinco porções em cinco momentos diferentes expõe seus dentes a uma possível formação de cáries por aproximadamente 100 minutos. Que diferença!

Você precisa também ficar de olho nos doces que seu Bebê/Filho pequeno come!

Crianças têm a mesma suscetibilidade à formação de cáries que crianças mais velhas e adultos . Na realidade, Cáries na Infância podem ser um problema muito sério. Veja a seção abaixo sobre a Prevenção de Cáries na Infância para maiores informações.
Voltar ao Topo

Exame Dental / Check Up Bucal

O dentista é o parceiro de sua família no caminho para se obter Sorrisos Saudáveis. Não se esqueça de marcar visitas regulares ao dentista para toda a família. A primeira visita de uma criança ao dentista deverá ocorrer antes de seu terceiro aniversário.
O exame dos dentes quando ocorre cedo na vida das crianças permite que elas tenham uma experiência positiva com relação à saúde bucal.
DICA: leve seu bebê de um ano de idade com você ao dentista quando tiver sua própria consulta. Deste modo, o consultório do(a) dentista torna-se um lugar familiar.

O Check Up Dentário de sua Criança: O que esperar


Tratamentos com Flúor:

O dentista pode fazer um tratamento nos dentes da sua criança usando flúor, na forma de gel, para tornar os dentes ainda mais fortes. Coloca-se gel numa moldeira que fica na boca da criança durante alguns minutos para deixar que o flúor penetre nos dentes. Existem no mercado gel de diferentes sabores para crianças!

Selantes dentários:

São finas camadas protetoras de resinas, aplicadas pelo dentista nos dentes permanentes posteriores (molares). Eles preenchem os sulcos nas superfícies de mastigação dos dentes onde alimentos e bactérias podem ficar aderidas e causar cáries. Uma vez aplicados, os selantes podem durar por vários anos.

Radiografias:

Estas "fotos" mostram ao dentista o que se passa dentro dos dentes e debaixo da linha da gengiva. Durante uma radiografia, sua criança usará um avental de chumbo para evitar exposição desnecessária aos raios.
Voltar ao Topo

Prevenção de cáries na infância: (também conhecido como cáries de mamadeira)

Cáries na Primeira Infância é uma doença que pode ser evitada. Os passos a seguir podem lhe ajudar a proteger seu bebê desta dolorosa doença - e peça a seu dentista ou médico maiores informações.
É melhor não oferecer a mamadeira enquanto seu bebê está na cama. Mas se você tiver que oferecer a mamadeira enquanto ele estiver na cama encha-a com água . Qualquer outro líquido que não seja água, até mesmo leite ou suco, pode causar cáries.
Você pode usar a mamadeira para alimentar seu bebê nas horas regulares de alimentação, mas permitir que a mamadeira seja usada como chupeta pode ser uma das principais causas de cáries.
  • Segure seu bebê enquanto o alimenta. Se o seu bebê adormecer, remova a mamadeira e ponha-o na cama.
  • Evite pôr o bebê para dormir com a mamadeira.
  • Evite deixar sua criança pequena passear com a mamadeira.
font: http://www.yahoo-colgate-saudebucal.com.br/materia.aspx?Materiaid=3

    quarta-feira, 24 de novembro de 2010

    Cáries na Infância

    Também conhecida como cáries de mamadeira, as cáries em bebês constituem um grave problema, que pode destruir os dentes de seu bebê ? mas o problema pode ser evitado.

    Qual a Causa de Cáries na Infância?

    • Deixar seu bebê dormir com uma mamadeira. Quando seu bebê está dormindo, os líquidos que têm açúcar permanecem em volta dos dentes e podem causar cáries. Até mesmo o leite materno e o de fórmulas contém açúcar.
    • Amamentação prolongada na mãe ou permitir que seu bebê adormeça enquanto se alimenta.
    • Permitir que sua criança fique o tempo todo com a mamadeira.
    Coloque Sua Criança na Cama Sem uma Mamadeira...
    Sua criança pode adormecer sem uma mamadeira! Siga cinco dicas para tentar:
    • Deixe sua criança levar uma manta, ursinho, boneca, ou brinquedo favorito de "segurança" para cama.
    • Cante ou toque uma música tranqüila baixinho.
    • Segure ou balance sua criança.
    • Faça uma massagem nas costas da sua criança para ajudá-la a relaxar.
    • Leia ou conte uma história para a sua criança.

    Quais são os efeitos de Cáries na infância?

    • Perda de dentes
    • Problemas de audição e de fala
    • Dentes permanentes tortos
    • Dor muito forte
    • Baixa auto-estima
    • Cáries

    Seis Modos Que Você pode Evitar Cáries na infância!

    • Habitue-se a colocar seu bebê na cama sem uma mamadeira.
    • Nunca coloque seu bebê na cama com uma mamadeira contendo fórmula, leite, suco, água com açúcar ou refrigerante. Se seu bebê precisar tomar uma mamadeira para adormecer, encha-a com água.
    • Não permita que sua criança fique o tempo todo com a mamadeira.
    • Limpe a gengiva e os dentes da sua criança depois de qualquer alimentação com um pequeno pano úmido e macio ou um pedaço de gaze. Com crianças mais velhas, use uma escova dental com cerdas macias para escovar seus dentes.
    • Comece a ensinar sua criança a usar um copo já com nove meses de idade. Troque a mamadeira do seu bebê por um copo de treinamento já na idade de 1 ano.
    • Pergunte ao seu médico ou dentista para ter certeza que sua criança está recebendo a quantidade diária correta de flúor.
    A saúde e o sorriso brilhante dos dentes do seu filho dependem de você!

    font: http://www.yahoo-colgate-saudebucal.com.br/materia.aspx?Materiaid=44

    segunda-feira, 22 de novembro de 2010

    Como cuidar dos dentes de crianças pequenas?

    Como posso cuidar dos dentes dos meus filhos na idade entre um e três anos?

    Ensinar bons hábitos de higiene bucal para seus filhos é uma das melhores lições de saúde que você pode ensinar a eles. Isto significa ajudá-los a escovar os dentes no mínimo três vezes ao dia, mostrar a maneira certa de usar o fio dental , incentivá-los a comer pouco entre as refeições e sempre ir ao dentista.A maioria dos dentistas recomenda que as crianças devam começar a ir ao dentista com dois anos de idade. Isto dá ao profissional a oportunidade de acompanhar o crescimento e o desenvolvimento dos dentes do seu filho e, além disso, você pode aprender vários tópicos, como os dentes se desenvolvem, a importância do flúor, como ajudar seu filho a cuidar bem dos dentes, como lidar com o uso da chupeta, sobre a alimentação e como prevenir ferimentos na boca.Nunca deixe de dizer que é bom ir ao dentista. Explique a seu filho que uma consulta com o profissional ajuda manter a boa higiene bucal. Ao transmitir uma atitude positiva, você estimulará o seu filho a ir ao dentista regularmente.

    O que devo fazer quando os dentes do meu filho começarem a nascer?

    Os dentes começam a nascer quando o bebê tem seis meses de idade e continuam a erupcionar até o terceiro ano de idade. Isto faz com que muitas crianças tenham gengivas mais sensíveis e irritáveis nesta época. Pode-se massagear a gengiva usando o dedo, uma colher fria ou um mordedor que foi colocado na geladeira. Também há a possibilidade do uso de gel e medicamentos contra a dor no período em que os dentes estão aparecendo. Fale com seu dentista ou pediatra sobre estes medicamentos. Se seu filho estiver com febre durante o aparecimento da dentição, o melhor é avisar seu médico para garantir que a febre não esteja relacionada com outro problema.

    Qual é a maneira certa de escovar os dentes do meu filho pequeno?

    Primeiramente é importante estar ao lado de seu filho no momento da escovação até ele atingir a idade de seis anos. Siga as indicações abaixo:
    • Use uma pequena quantidade de creme dental com flúor. Não deixe seu filho engolir o creme.
    • Use uma escova macia. Primeiro limpe as superfícies internas dos dentes, onde o acúmulo de placa é maior. As cerdas da escova devem estar em um ângulo de 45 graus em relação à gengiva. Escove suavemente para frente e para trás.
    • Escove todas as superfícies dos dentes voltadas para a bochecha. As cerdas da escova devem estar em um ângulo de 45 graus em relação à gengiva. Escove suavemente para frente e para trás.
    • Escove a superfície de mastigação dos dentes, para frente e para trás.

    Chupar o dedo faz mal? Como posso evitar isto?

    O reflexo de sugar é normal e saudável nos bebês. Mas, o hábito de chupar o dedo pode causar problemas de desenvolvimento da boca e do queixo, e afetar a posição dos dentes, principalmente se continuar depois que os dentes permanentes tiverem nascido. O resultado disso pode ser dentes anteriores que nascem inclinados para fora, ou mordida aberta. Isto pode causar problemas na vida adulta, como, por exemplo, dentes que se desgastam rapidamente, maior número de cáries e desconforto ao mastigar. As chupetas também podem causar danos parecidos, se usadas após a erupção dos dentes permanentes.
    A melhor maneira de tratar o hábito de chupar o dedo é através de estímulos positivos, não de palavras e comportamentos negativos. Para seu filho, o hábito de chupar o dedo é uma coisa natural. Elogie seu filho quando não estiver chupando os dedos. Talvez seja preciso resolver o problema de ansiedade que leva seu filho a ter este hábito. Você pode conscientizar seu filho que ele tem este hábito, colocando um esparadrapo no dedo que ele chupa ou uma meia em sua mão à noite. Seu dentista ou pediatra pode receitar um medicamento com sabor amargo para passar no dedo o que leva a criança a perder este hábito com mais facilidade.

    font: http://www.yahoo-colgate-saudebucal.com.br/materia.aspx?Materiaid=45

    sexta-feira, 19 de novembro de 2010

    Cuide da boca e evite doenças em outras partes do corpo!

    Da boca para o corpo

    Muito mais que garantir um sorriso bonito, cuidar rigorosamente dos dentes espelha saúde nos quatro cantos do organismo. E, aí, o portal por onde entram os nutrientes e de onde saem as palavras não abre alas para problemas sérios no estômago, nos pulmões e até no coração

    DIOGO SPONCHIATO
    font: http://saude.abril.com.br/edicoes/0299/medicina/conteudo_283019.shtml

    Quem tem boca pode ir ao céu ou ao inferno. E esse destino só depende da atenção reservada a ela no dia-a-dia. Aqueles mandamentos que a gente conhece tão bem registrados no quadro ao lado , mas nem sempre segue à risca, não são apenas indispensáveis à preservação da língua, da gengiva e de cada dente. Eles também ajudam a evitar infortúnios em outras redondezas do corpo. Sem exagero. Uma saúde bucal deficiente repercute em cheio nos vasos sangüíneos, nas articulações e em órgãos que, aparentemente, não mantêm íntimo contato com os dentes. Só aparentemente.

    Não podemos enxergar a boca de maneira isolada, afirma a dentista Juliana Villalba, da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, no interior de São Paulo. A idéia resumida por essa frase inspirou a especialista a organizar o recém-lançado Odontologia e Saúde Geral, obra dirigida a profissionais de saúde, em especial médicos e dentistas. Ela reúne artigos científicos que exploram a relação direta entre os dentes e o resto do organismo. Juliana alerta, aliás, para a importância de o próprio dentista projetar seu olhar muito além da cavidade bucal. A princípio, o livro seria intitulado A boca também tem corpo, revela.

    Basta folhear a obra para notar que a maioria dos estragos eclodidos na boca é protagonizada por uma infinidade de bactérias. Ora, a cavidade bucal é um verdadeiro Olimpo para esses microorganismos. E, justiça seja feita, nem todos eles são malignos ali existe uma flora bacteriana essencial à digestão dos alimentos, por exemplo. O problema é quando a escova e o fio dental são deixados de escanteio. Aí os micróbios nocivos, por trás das cáries, da gengivite e da periodontite, proliferam-se e levam ao caos. Mesmo em uma boca saudável, há 200 milhões de microorganismos em 1 grama de placa bacteriana, conta o periodontista Antonio Sallum, professor da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP), vinculada à Unicamp. Se ela estiver a caminho da ruína, então, o número pode bater a casa do bilhão. E as ameaças também se multiplicam.
    Se a gente mata a fome e se esquece da higiene bucal, poucas horas são suficientes para a formação da famigerada placa bacteriana. Num processo contínuo, micróbios e mais micróbios se unem para monopolizar os dentes e a gengiva. E é assim que a placa, também chamada biofilme, torna-se mais espessa, chegando às vezes ao ponto de ser vista a olho nu. Com os ventos a seu favor, as bactérias vilãs passam a subjugar as espécies do bem. A placa propicia o aparecimento de dois problemas: a cárie e a doença periodontal, diz o professor Antonio Sallum. A primeira, arquitetada pela bactéria Streptococcus mutans, mina aos poucos o próprio dente. Mas a segunda, que começa como uma gengivite e evolui para uma periodontite, é mais assustadora. Ela detona toda a estrutura que liga o dente à gengiva e ao tecido ósseo.

    sexta-feira, 12 de novembro de 2010

    Endodontia

    A endodontia é uma das especialidades odontológicas que previne e cura as enfermidades na polpa dental. Em casos de enfermidade, o tratamento é remover o tecido mole chamado polpa quando esta se encontra infectada substituindo-a por material obturador.
    Além do tratamento de canal, a endodontia reestabelece a normalidade dos tecidos pulpares por meio de curetagem pulpar, pulpotomia, pulpectomia ou por tratamento cirúrgico.
    Quando um dente precisa ser tratado por um endodontista e não é, o dente tem a raiz infeccionada e também os tecidos vizinhos, ocorre a queda de bactérias na corrente sanguínea, além de provocar dor, inchaço, pus e febre. A partir de tais conseqüências, a maioria dos casos são solucionados com a extração do dente.

    domingo, 7 de novembro de 2010

    Dentística

    Dentística ou odontologia estética é o ramo da odontologia  que atua na área da cosmética e restauração dental. Entre outros serviços, os profissionais desta especialidade tratam de clareamento dos dentes, uso de resinas diretas, peeling gengival, facetas e restaurações estéticas.
    IMPLANTO ODONTO
    O seu principal foco é a estética, ainda que a restauração de dentes também seja uma medida importante para a saúde individual, já que a permanência de cáries pode causar problemas a vários níveis, além de criar problemas na mastigação dos alimentos.

    Pesquisa dos vários tipos de preparações dentárias, a relação dos materiais restauradores com a estrutura dentária e o resto do organismo, técnicas restauradoras, etc. Tornando possível ao cirurgião-dentista restaurar de forma direta ou indireta a estética e a função dos dentes comprometidos.

    segunda-feira, 1 de novembro de 2010

    Clareamento a Laser

    Paciente do sexo masculino, 25 anos de idade. Desejava melhorar o aspecto de seu sorriso, entretanto queria um tratamento rápido. Neste intuito foi indicada a associação do clareamento de consultório com a técnica caseira e após isso o fechamento de um diastema interincisivos.

    Na primeira sessão foi realizada a moldagem com alginato para confecção das moldeiras para o clareamento caseiro. Nesta mesma sessão foi realizado o clareamento a laser com peróxido de hidrogênio a 35% (Whiteness HP - FGM) em 2 aplicações de 40 minutos cada. Enquanto o clareamento de consultório era realizado as moldeiras foram confeccionadas, permitindo que o paciente iniciasse o clareamento caseiro no mesmo dia com peróxido de carbamida a 16% (Whiteness Perfect - FGM). No total foram realizadas 2 sessões de clareamento no consultório com intervalo de uma semana e 2 semanas de clareamento com moldeira. O fechamento do diastema foi executado após uma semana do fim do tratamento clareador.
    IMPLANTO ODONTO
    IMPLANTO ODONTO

    Enxerto Gengival

    A gengiva é um tecido que reveste o osso alveolar e se acomoda ao redor dos dentes. Pode ser classificada em gengiva marginal (A) e inserida (B), ambas queratinizadas. Gengiva saudável é firme, não sangra e tem uma tonalidade próxima do vermelho-claro. A gengivite é a inflamação mais comum da gengiva e é causada principalmente pelo acúmulo contínuo da placa bacteriana próximo aos dentes e próteses dentais ou implantossuportadas.

    O uso diário do fio e da escova dental reduz a placa e previne que os microorganismos patogênicos alcancem o tecido ósseo de suporte logo abaixo da gengiva. Quando a prevenção não é eficaz, o osso alveolar inicia um processo de reabsorção e redução no seu volume com conseqüente recessão gengival, expondo parte da raiz do dente ou do implante à cavidade bucal.

    As recessões gengivais constituem, por definição, a migração da gengiva marginal em direção apical. Diversos fatores podem causar este desagradável, antiestético e nocivo efeito, como o trauma por escovação e outros tipos de trauma sobre o tecido gengival, a falta de gengiva inserida, fatores iatrogênicos locais, inserção anômala de freios e bridas, mal posicionamento dental, vestíbulo raso, tábua óssea fina ou presença de fenestrações e deiscências ósseas, bem como a inflamação gengival, comentada anteriormente. Na maioria dos casos a causa das recessões é multifatorial e é necessário a sua remoção antes do início do tratamento.

    Nossos Clientes recebem tratamento pré-cirúrgico envolvendo: instrução de higienização, raspagem e alisamento radicular em situações específicas, profilaxia, polimento dental e controle da placa bacteriana (biofilme dental).

    O tratamento das recessões tem o objetivo de restabelecer a normalidade da posição gengival como também evitar o aparecimento de hipersensibilidade dental, riscos de cáries na raiz, lesões de abrasão e erosão alterando a topografia local e favorecendo o acúmulo da placa bacteriana, dificultando a higienização.

    Existem diversas técnicas cirúrgicas para recobrimento de raízes dentais expostas e aumento da quantidade de gengiva inserida próxima aos implantes dentários. As principais e mais conhecidas são os retalhos pediculados e os enxertos gengivais (tecido conjuntivo subepitelial). Todas as técnicas, quando bem indicadas e executadas, apresentam uma boa previsibilidade e margem de sucesso. Entretanto, de acordo com os resultados obtidos na literatura, a técnica do enxerto de tecido conjuntivo subepitelial livre tem se mostrado bastante confiável e com altos índices de sucesso em relação às demais.

    A região palatina (céu da boca) é uma excelente área doadora por apresentar suficiente quantidade de gengiva inserida para aumentar e recobrir uma ou mais regiões.

    Atualmente os enxertos gengivais têm uma boa aplicação clínica, correspondendo às expectativas estéticas e funcionais em um curto período de cicatrização. A técnica é pouco invasiva e geralmente nossos Clientes não apresentam qualquer sintomatologia dolorosa, durante e após o procedimento cirúrgico.

    Plastica Gengival

    A cirurgia plástica gengival é uma opção para as pessoas que não estão satifestas com seu sorriso e também com o formato e o tamanho de suas gengivas, que influenciam a harmonia de toda a boca. A estética gengival influi no sorriso através de suas relações com os dentes, cor e espessura das gengivas.

    Platica GengivalCom este procedimento é possível corrigir as deformações gengivais com a remoção de excessos e a reconstrução de áreas que possuem pouca gengiva utilizando enxertos de gengiva. A cirurgia é simples feita com anestesia local e pode ser realizada no consultório do dentista. Após o procedimento é preciso utilizar alguns medicamentos como antibióticos, anti-inflamatório e analgésicos. O período de cicatrização depende de cada caso, mas a reabilitação total interno da gengiva acontece a partir de seis meses.

    Muitos pacientes recorrem a essa cirurgia devido à desarmonia gengival, que pode estar relacionada com o excesso ou a falta de gengiva. O crescimento pode ser causado pelo uso de medicamentos como anti-hipertensivos, à base de alodipina, anticonvulsivantes, à base de hidantoína, e aparelhos fixos associados com uma má escovação.

    A recessão é a mudança da posição da gengiva com o aparecimento da raiz do dente, que se torna mais longo e sensível. Essa situação pode acontecer por causa de uma escovação traumática forte, má-oclusão, quando a mordida é sobrecarregada no dente com recessão, bruxismo e doença periodontal. Para este tipo de correção, o exerto utilizado é retirado do ceú da boca (palato).

    A cirurgia é contra-indicada para pacientes que possuam problemas cardiovasculares sem tratatamento, doença periodontal ativa, problemas sanguineos e câncer de boca.

    Tratamento Periodontal

    Inflamação da gengiva oferece riscos para o coração

    Pesquisadores relacionam aterosclerose à falta de higiene bucal


    A próxima pessoa que lembrará você de passar o fio-dental talvez seja seu cardiologista, em vez do seu dentista. Cientistas descobriram que a proteína associada à inflamação bucal (chamada CRP) é elevada em pessoas com risco de ter doenças no coração. Mas de onde a inflamação vem?

    Uma nova pesquisa feita por cientistas da Itália e do Reino Unido, publicada no site do Jornal da FASEB (do inglês The Federation of American Societies for Experimental Biology), mostra que gengivas infectadas podem ser causa de diversas doenças, entre elas a arteriosclerose. De fato, uma adequada higiene dental pode reduzir o risco de aterosclerose, derrame e doenças no coração, independentemente de outras medidas, como controle do colesterol.

    "Há muito tempo se suspeita de que a aterosclerose é um processo inflamatório e que a doença periodontal tem um importante papel na arterioesclerose", afirma Mario Clerici, M.D., sênior pesquisador do estudo. "Nosso estudo sugere que esse é o caso e indica que algo tão simples como cuidar da saúde dental e da gengiva pode reduzir muito o risco de desenvolver sérias doenças".Para chegar a essa conclusão, os cientistas examinaram as artérias carótidas de 35 diferentes pessoas saudáveis (média de 46 anos) com moderada doença periodontal antes e depois de receberem tratamento nas gengivas. Um ano depois do tratamento, os cientistas observaram uma redução da bactéria oral, da inflamação imune e do aumento dos vasos sanguíneos associados à arterioesclerose.

    Perguntas:


    1-A relação entre gengiva inflamada e doença periodontal com problemas sistêmicos é um tema recorrente na Odontologia?

    Hoje em dia sabe-se que a doença periodontal é o resultado de um processo interativo entre o biofilme (placa dental) e os tecidos periodontais através de respostas celulares e vasculares. A instalação e a progressão da doença envolvem um conjunto de eventos imunológicos e inflamatórios, com participação dos fatores modificadores locais, sistêmicos, ambientais e genéticos.
    O efeito sistêmico da resposta inflamatória frente a esses microorganismos tem levado ao estabelecimento de uma relação entre a doença periodontal como fator de risco para descontrole da diabetes, para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais, infecções pulmonares, parto prematuro, entre outras.



    2- É verdade que pesquisas recentes indicam que processos inflamatórios produzem uma proteína que entra ou favorece a formação dos ateromas, que levam à aterosclerose?

    Sim. A proteína C-reativa ou (PCR) é um marcador de fase aguda que se eleva especialmente em processos inflamatórios e infecciosos. È um tipo especial de proteína que é produzida pelo fígado. Embora não chegue a ser um exame especifico, a Proteína C-reativa (PCR) indica, de forma geral a existência de um processo inflamatório e infeccioso agudo. Nos métodos de análise rotineiros, o limite de detecção da Proteína C-reativa (PCR) é de 0,4 a 0,5 mg/dL, enquanto que se empregarmos os métodos ultra-sensíveis é possível detectar níveis de Proteína C-reativa a partir de 0,09mg/dL.
    A relação entre altos níveis de LDL, o "mau" colesterol, e da Proteína C-reativa no sangue fornecem explicações mais convincentes sobre as principais causas para a instalação de placas nas artérias que irrigam o coração.

    As partículas de LDL em excesso que se acumulam junto às paredes internas de uma artéria sofrem alterações químicas que induzem as células do revestimento interno do vaso a produzir certos mediadores, que atraem glóbulos brancos com a finalidade de digerir essas partículas alteradas. Inicia-se, no local, uma cadeia de reações imunológicas que resultara na deposição de uma camada formada por gordura e glóbulos brancos.

    Como a molécula dessa proteína permanece estável por décadas no sangue estocado, mesmo em pequenas quantidades no sangue de pessoas normais, mais cuja concentração pode aumentar cem ou mil vezes na vigência de processos inflamatórios. Nos últimos anos surgiu uma avalanche de estudos que estabeleceram relações bem definidas entre os níveis de Proteína C-reativa e o risco de acidentes cardiovasculares.

    As concentrações de Proteína C-reativa no sangue são coerentes com os demais fatores de risco para doenças cardiovasculares. Seus níveis se elevam com o fumo, com o aumento de peso, com o diabetes, com a hipertensão arterial e com o passar dos anos.



    3- E essa inflamação poderá ser das gengivas?

    Se o paciente apresenta uma inflamação gengival (doença periodontal) e esta é considerada uma doença crônico-inflamatória, é possível, pois já existem estudos mostrando que após o tratamento periodontal, o nível de proteína C reativa diminui na corrente sanguinea.



    4- Pacientes portadores de doenças cardíacas, quando sofrem intervenções odontológicas, podem sofrer os efeitos das bactérias que entram na corrente sanguínea e fixam-se em áreas de fragilidade, podendo gerar problemas sérios?

    Dependendo do tipo de doença cardíaca sim, como por exemplo, prolapso da válvula mitral. Para esses pacientes é recomendado pela American Heart Association (AHA), profilaxia antibiótica com 2 gramas de amoxicilina 1 hora antes do procedimento, para previnir endocardite bacteriana.

    5-O que o paciente deve fazer para não possuir doenças periodontais?

    Como em qualquer situação cada pessoa (paciente) tem necessidades diferentes. É importante que o paciente procure um especialista, no caso um periodontista, para ser examinado e assim poder receber um plano de tratamento inicial e principalmente um acompanhamento, pois muito similar ao diabetes, a periodontite não tem cura, mas tem tratamento e quanto antes diagnosticada melhor é a saúde peiodontal e sistêmica do paciente.

    Protese Dentária

    A prótese fixa é a restauração parcial ou total da coroa de um dente, quando se denomina prótese fixa unitária, ou a substituição de um ou mais dentes perdidos, quando se denomina prótese parcial fixa (ou "ponte fixa"). Ao ser fixada sobre os dentes do paciente, previamente preparados para recebê-la, reabilita-o para mastigar, falar ou sorrir.

    Recebe o nome de "fixa" porque não pode ser removida pelo paciente ou pelo dentista, a menos que este a corte com o uso de equipamentos especiais. Você também pode optar pela protese removivel.

    As próteses fixas podem ser só metálicas; metálicas revestidas por um material estético plástico ou cerâmico, da cor dos dentes; de cerâmica; e finalmente, coroas metal free (toda de cerâmica) indicada para dentes anteriores.

    Quanto tempo dura uma prótese fixa ?
    A durabilidade de uma prótese fixa depende de vários fatores, veja quais são:

    1) - de um bom exame e planejamento prévios;
    2) - da técnica e dos materiais utilizados;
    3) - da fineza da adaptação da prótese aos dentes;
    4) - da boa relação da prótese com os tecidos;
    5) - da justeza da sua oclusão, isto é, da sua harmonia com a função mastigatória;
    6) - cuidado do paciente após a colocação da prótese (hábitos alimentares, visitas regulares ao dentista);

    Tudo isso vai depender do grau de especialização do dentista e do seu protético, das condições de trabalho que o paciente oferece ao seu dentista e dos seus cuidados de manutenção da saúde bucal, para que a prótese dure mais de sete anos, que é a vida média das próteses fixas.

    Há necessidade de realização de tratamento de canal dos dentes de suporte?
    Por princípio, não, pois o melhor elemento de suporte é aquele dente o mais íntegro na sua estrutura e com as gengivas e a polpa sadias. Porém, se há dúvidas quanto à saúde da polpa, indica-se o tratamento de canal, assim como para aqueles dentes que serão usados como suportes de ponte fixa mas estão muito inclinados, e o corte para ajustá-los ao eixo de inserção da prótese seria muito grande e danoso à integridade pulpar. Um bom tratamento de canal para esses casos evitaria problemas futuros que poderiam diminuir a durabilidade da prótese.

    É difícil a limpeza? Causa mau hálito?
    As próteses fixas unitárias, quando bem desenhadas e bem adaptadas marginalmente, comportam-se como dentes naturais na sua limpeza e exigem do paciente os mesmos cuidados, isto é, boa escovação na técnica e no tempo corretos, complementada pelo uso do fio ou fita interdental.

    Os portadores de pontes fixas necessitam de dispositivos especiais: passadores de fio dental, ou fios com a ponta endurecida, para a limpeza dos espaços protéticos. 0 mau desenho de uma prótese fixa, a má adaptação, o mau tratamento dado a materiais e a limpeza insuficiente podem permitir a retenção de detritos alimentares e bactérias, causando inflamação gengival e mau hálito.

    Caso você não se adapte com a protese fixa, você pode escolher pela prótese removivel.

    Demora para ser executada ?
    Sim, demora. Um bom dentista não consegue fazer uma incrustação metálico-fundida, que é a prótese fixa mais simples, em uma única sessão, pois ela exigirá, no mínimo, de 3 a 4 sessões clínicas de 1 hora, e mais 3 sessões laboratoriais.

    0 resultado estético é bom?
    Sim, no geral é bom. Mas há casos de grande perda óssea que dificultam a obtenção de uma estética excelente. Nesses casos, o tratamento tem como primeiro objetivo restabelecer a função da mastigação; como segundo a durabilidade e em terceiro lugar a estética.

    Eu fico sem os dentes durante o tratamento?
    Não. Um bom dentista supre o seu paciente com proteção provisória adequada aos dentes preparados com substitutos plásticos fixados com cimento de baixa resistência, possibilitando-o a mastigar, falar e sorrir, satisfatoriamente, durante o tratamento.

    Por que o dente perdido precisa ser substituído?
    Os dentes, para funcionarem bem, precisam estar em equilíbrio nos arcos dentários superior e inferior, sempre submetidos a um sistema de forças oriundas dos músculos mastigadores, lábios, bochechas e língua.

    A perda de um só dente desequilibra esse sistema de forças, e os dentes movimentam-se migrando para compensar a perda. E espaços são criados, desníveis acontecem e a mastigação e a estética sofrem. Os dentes precisam ser recolocados porque eles fazem parte de um todo: o sistema mastigatório.

    Tratamentos Implantes Osseointegrados

    As alternativas modernas ideais para a substituição de 1 ou mais dentes são os implantes osseointegrados.

    Tratamentos Implantes OsseointegradosCom implantes osseointegrados não haverá necessidade do preparo dos dentes adjacentes ao elemento ausente.

    Implantes osseointegrados são pinos de titânio que atuam como raízes dentárias artificiais, tornando-se parte integral do osso mandibular ou maxilar.

    Sobre o implante osseointegrado adaptar-se-á uma prótese com o máximo de estética e função requerida para cada caso.

    Para um adequado planejamento cirúrgico e protético é indispensável:
    • exame clínico do paciente
    • exames complementares
    • o radiografias
    • periapical, panorâmica, planigrafia e ou tomografia computadorizada.
    • o análise de modelos em articulador,
    • o exames laboratoriais
    • o guia cirúrgico e protético

    Informações sobre tipos de implantes osseointegrados, métodos cirúrgicos, enxertos, prótese e estética sobre implante

    Tratamentos Implantes Zigomáticos

    Este tratamento é indicado para pacientes que não têm estrutura óssea suficiente para o implante convencional. O tratamento inicia em ambiente hospitalar, com a colocação dos implantes. Eles são posicionados nos ossos zigomáticos e suportam as próteses fixas, recompondo todos os dentes da boca, e na maioria das vezes podemos fazer a colocação dos dentes em carga imediata . Eles são unidos para dar reforço à estrutura e possuem uma gengiva artificial, mas não precisam ser retirados para a limpeza.
    É uma técnica revolucionária, utilizada a muito tempo na implantodontia moderna, com resultados positivos, necessitando de um planejamento completo e criterioso.

    Implanto OdontoSão implantes utilizados em pacientes que perderam todos os dentes da arcada superior, são indicados para casos onde houve  severa reabsorção óssea, onde ás vezes até o enxerto ósseo é contra indicado. Este implante é fixado ao osso que leva seu nome, localizado na maçã do rosto.

    É utilizado também quando o paciente não quer submeter-se a realização de enxerto ósseo, com isso conseguimos diminuir  o tratamento para apenas um estágio cirúrgico.

    Uma das grandes vantagens desse tratamento é a possibilidade de utilizá-lo como Carga Imediata, possibilitando assim a instalação dos dentes em apenas 72 horas.

    Neste tipo de tratamento podemos utilizar também a técnica de cirurgia guiada para implantes, diminuindo muito o desconforto pós-operatório.

    A instalação deste implante na técnica convencional é realizada em hospital, com anestesia geral e o paciente é liberado no mesmo dia. Quando utilizamos a técnica de cirurgia guiada, este tratamento pode ser realizado em consultório odontológico com auxílio de sedação venosa realizada por um Médico Anestesista.

    Tratamentos Carga Imediata

    O que são os implantes de ativação imediata (carga imediata) ?
    Para muitos pacientes, a necessidade de estar sem a prótese durante um período de tempo, após a instalação dos implantes, pode ser considerada inconveniência em função do convívio social e atividades profissionais.O termo carga imediata pode ser definido como instalação de implantes osseointegrados em condições ideais à estabilidade primária, seguida de ativação protética ( colocação dos dentes ) ate 72 horas após a cirurgia. Esta definição era aplicada à instalação de múltiplos implantes dentários e a contenção entre os mesmos promovendo um efeito de estabilidade. Com estudos recentes podemos colocar o implante unitário e colocar o dente no mesmo instante, sendo observado somente uma boa estrutura óssea.
    O tratamento para colocação de implante é seguro?
    O planejamento e a boa indicação de cada técnica que se utiliza é o grande diferencial do sucesso previsível. A técnica de carga imediata sem dúvida é uma ótima indicação para situações em que a quantidade e qualidade ósseas e os hábitos oclusais sejam favoráveis a sua aplicação.
    Quanto tempo leva para ser feito ?
    O processo leva cerca de 2 ou 3 dias variando de acordo com o número de dentes a serem implantados no paciente. Em reabilitações totais, na média, são realizados 6 a 8 implantes para cada arcada ( superior ou inferior ) em uma única sessão cirúrgica. Com o modelo em mãos é confeccionada a infra-estrutura que é provada em uma sessão, normalmente no dia seguinte a cirurgia. A infra-estrutura volta ao laboratório onde recebe os dentes. Depois a peça pronta é colocada.
    Posso realizar o sistema de carga imediata para um único dente?
    A utilização de implantes unitários com procedimentos de carga imediata é bastante usado em áreas estéticas onde conseguimos manter a arquitetura gengival proporcionando a melhor estética.
    Podemos prever o resultado ?
    Observando o estudo comparativo entre a técnica convencional estabelecida por BRANEMARK e o protocolo de carga imediata temos como grandes vantagens a diminuição do tempo das consultas e a rapidez dos resultados oferecidos ao paciente, com efeito psicológico e social melhorados, já que os resultados geram bem estar funcional e estético. Os pacientes devem ser selecionados e a indicação estabelecida após controle sistêmico da saúde e das condições locais favorecidas para essa técnica. Comparada com a técnica convencional onde o paciente esperaria normalmente de 3 a 6 meses para a colocação dos dentes, a técnica da carga imediata pode ser uma ótima opção quando bem indicada.

    Implantes

    Conheça os Benefícios do Implante Dentário.
    A implantodontia possibilita ao paciente a oportunidade de se submeter a uma cirurgia para colocação de um ou vários implantes. Dependendo da situação óssea existente, podemos colocar o implante em função mastigatória em até 3 dias após a cirurgia de acordo com a reabilitação. Assim o paciente retorna as suas atividades o mais rápido possível e com a auto-estima elevada.
    Muito se fala sobre implantes dentários, muitas são as propagandas e o paciente fica sem saber o que é possível de se fazer. Aqui iremos tentar mostrar o que você deve estar atento quando se programar para esse tipo de tratamento.

    1- O que é implante dentário?
    Implante dentário é um parafuso de titânio colocado dentro do osso, abaixo da gengiva e que tem a função de fazer o mesmo papel da raiz do dente. Em cima do implante é que o cirurgião dentista coloca o dente.

    2- Todas as pessoas podem fazer implantes dentários?
    Em saúde as palavras todas, nenhuma, sempre e nunca não devem ser usadas. Algumas vezes o paciente não pode fazer o implante naquele momento ou não pode fazer por uma determinada condição, mas isso não impede que ele venha a poder fazer. O importante em relação ao paciente é que ele tenha um bom estado geral de saúde.

    3- Quais são os fatores que contra indicam um implante dentário?

    Os principais motivos de contra indicação é a colocação de implantes dentários em crianças antes da fase final de crescimento e pessoas que tenham uma expectativa acima do normal com resultados relativos a estética. Pessoas com problemas cardíacos de alto risco, como próteses valvulares aórticas ou mitrais, cardiopatias congênitas ou com antecedentes de endocardite infecciosa.
    4- Os implantes rejeitam?
    Não, não existe rejeição dos implantes pelo organismo. Os implantes são feito de titânio e esse material é inerte ao osso. Isso quer dizer que o organismo não percebe que algo foi colocado no osso e por isso tenta fechar o furo feito pela broca para a colocação do implante. Quando o osso preenche esse orifício, ele trava o implante e isso é o que chamamos de osseointegração. Podem ocorrer problemas devido a intercorrências na cirurgia, no pós-operatório, pela qualidade do osso, mas não por rejeição.

    5- Os implantes importados são melhores que os nacionais?
    Existem ótimos implantes nacionais e ótimos importados, assim como existem implantes importados que são péssimos e nacionais que também são.Quanto melhor a empresa do implante, mais componentes e mais preciso o encaixe entre eles e o implante. Para exemplificar, um implante de uma empresa de ponta, o dentista pode colocá-lo em uma posição que não seja a ideal, mas a empresa tem acessórios que compensam essa alteração. Outras empresas você teria dificuldade de solucionar proteticamente o caso.
    6 - Pacientes que não tem osso podem receber implantes?
    Podem, mas precisam se submeter a uma enxertia óssea. Se a necessidade for de uma quantidade pequena de osso, pode-se retirar da própria boca, da região do queixo ou do túber. Se a necessidade de osso for grande, aí precisaremos retirar da crista do ilíaco (ossinho saltado na região por onde passa o cós da calça), da calota craniana ou da tíbia. Estas cirurgias são feitas em ambiente hospitalar.

    7 - Qual a taxa de sucesso dos implantes dentários?
    O índice de sucesso é em torno de 95%, ou seja, em cada 100 poderemos ter problemas em 5. Mesmo nesses que temos problemas, a cirurgia pode ser refeita.

    8 - Todas as pessoas podem colocar os implantes e os dentes no mesmo dia (carga imediata)?
    Não, nem todas as pessoas podem colocar implantes e dentes no mesmo dia. Aliás, ainda é a minoria das pessoas que podem. Para isso o paciente tem que ter quantidade e qualidade suficiente de osso. Quando existe osso na região inferior normalmente é possível, pois o osso da mandíbula é mais duro (menos poroso). Já a maxila é um osso mais poroso e por isso a fixação do implante é mais difícil. Então para a colocação de implantes imediatos é necessário avaliar a quantidade óssea, o número de implantes e os dentes que serão implantados. Nos implantes convencionais as pessoas esperam em torno de 2 a 3 meses na região inferior e de 4 a 6 meses na região superior.

    9 - Quantos implantes são necessários em um paciente que não tem nenhum dente?
    Depende do tipo de trabalho protético que se for fazer, mas na parte superior se formos convecionar um trabalho fixo necessitaremos no mínimo 6 implantes e na região inferior no mínimo 4.

    10 - Quais são as etapas de trabalho?
    A primeira e mais importante das etapas é a de planejamento. Nesta fase nós tentamos descobrir quais os objetivos do paciente e quais as reais possibilidades de trabalho que existem. Após a definição do tipo de trabalho a ser feito vem à parte da cirurgia, onde os implantes são colocados. No caso de implantes com carga imediata, dentes provisórios são colocados no mesmo dia da cirurgia. Nos casos tradicionais, o paciente deve aguardar durante 2 ou 3 meses para colocação dos dentes definitivos na região inferior e de entre 4 e 6 meses na região superior.

    11 - Dói colocar implantes?
    Não, a colocação de implantes é muito tranqüila em relação à dor. A anestesia é local, exatamente a que se toma para fazer qualquer tratamento dentário. A única fase que poderia causar algum tipo de dor seria na hora de abrir a gengiva, mas hoje em dia nem isso fazemos muitas vezes. Quando chegamos no osso, a dor não ocorre pois o osso não tem inervação, então ele não dói. O pós-operatório é tranqüilo,recomendando analgésico,antibiótico, antiinflamatório e repouso relativo até a retiradas dos pontos. No dia seguinte o paciente já pode voltar as suas atividades de trabalho, com moderação.

    12 - Qual a maior novidade em implantes dentários?
    A maior novidade não está no implante, mas sim nos exames que se faz e como se usa esses implantes. Nesta técnica é possível fazer a colocação dos implantes, sem precisar cortar a gengiva. A cirurgia é feita inicialmente no computador, depois teremos o modelo da boca do paciente com os implantes colocados e um guia que irá nos mostrar o exato local na boca no ato cirúrgico, não precisando cortar a gengiva em muitos casos.

    Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More